A mamoplastia é o sonho de muitas pessoas para se sentirem mais bonitas e atraentes.

Vale ressaltar que a mamoplastia não diz respeito somente às próteses de silicone, mas a vários tipos de intervenções que podem transformar as mamas.

  • Mamoplastia de aumento: é a colocação da prótese com o mínimo de corte. Destinada a pacientes com flacidez baixa ou sem flacidez e que tenham a auréola bem posicionada.
  • Mastopexia: é a retirada do excesso de pele. Pode ser associada à mamoplastia de aumento, na qual é feito o implante de prótese ou não.
  • Mamoplastia redutora: é a redução da mama.
  • Mamoplastia reparadora: realizada quando as mamas estão relacionadas a algum problema de saúde, como o câncer.

TIPOS DE PRÓTESE

Qualquer cirurgia plástica exige muito planejamento e conversa com o seu médico. E com a mamoplastia de aumento não poderia ser diferente. Apesar de ser um procedimento relativamente comum, também exige um bom plano cirúrgico.

Uma das escolhas mais importantes e determinantes para os bons resultados do implante mamário é a escolha da prótese de silicone. Conheça algumas curiosidades sobre os tipos de prótese:

  • Alto: para mulheres com um tórax proporcional.
  • Superalto: para mulheres de tórax estreito.
  • Anatômico: proporciona aparência mais natural.

TIPOS DE INCISÃO

  • Incisão infra-mamária: fica localizada no sulco infra-mamário, alcançando um resultado bastante discreto e disfarçado. O tamanho do corte varia, principalmente, pelo tamanho da prótese de silicone. Um dos benefícios é a melhor visualização da área de dissecção.
  • Incisão periareolar: é realizada na área inferior da aréola, localizada na transição do tecido areolar para a pele. Uma vantagem desse tipo de incisão é a possibilidade de redução no tamanho das aréolas, se desejado pela paciente.
  • Incisão transaxilar: é realizada na axila, sendo uma opção para inserção de próteses quando não se deseja ter uma cicatriz na região da mama.

A escolha do melhor tipo de incisão deve ser realizada em conjunto com o cirurgião plástico que, avaliando as características da mama, poderá balancear as vantagens e desvantagens de cada técnica, optando por aquela mais eficaz para cada paciente.

CONTRATURA CAPSULAR

A contratura capsular se refere ao que, popularmente, chamamos de rejeição, ou seja, quando o organismo reconhece que aquilo que não pertence a ele e reage a esse corpo estranho. Nos casos de implante de silicone, essa é uma das reações adversas mais comuns.

O encapsulamento, na verdade, é uma reação normal do corpo a toda prótese de silicone. O problema acontece quando esse encapsulamento é excessivo, causando firmeza e distorção do implante mamário.

Casos mais graves devem ser tratados por meio da troca das próteses, mudança de técnica (por exemplo, de subglandular para submuscular) ou retirada das cápsulas.

Conhecer todos os riscos de uma cirurgia plástica também é fundamental para decidir se operar e saber o que esperar e como evitar, quando possível.

QUANDO TROCAR O SILICONE

Toda prótese de silicone tem um prazo de validade, que pode variar de 10 a 20 anos conforme a marca, modelo e material de composição.

Em alguns casos, porém, o implante deve ser trocado antes da data de vencimento, devido a mudanças na posição, rupturas e outras complicações que possam comprometer a saúde física ou emocional da paciente.

A revisão anual da prótese de silicone é imprescindível para detectar eventuais contraturas, dobras ou rupturas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *