A mamoplastia de aumento é o sonho de muitas mulheres e, por isso, uma das cirurgias plásticas mais realizadas no mundo. Essa cirurgia plástica é indicada para aquelas que possuem seios pequenos e que estão insatisfeitas com essa característica, seja ela natural ou causada por uma grande perda de peso.

  • Como é realizada a mamoplastia de aumento?                                                                                                                        Durante o procedimento, é feita uma pequena incisão para inserir a prótese de silicone. Ela pode ser colocada por cima ou por baixo do músculo peitoral, dependendo do resultado esperado pela paciente, da sua estrutura física e da quantidade de pele e gordura que possui na região.

 

  • Todas as próteses de silicone são iguais?
    Não. Cada prótese possui formas (em gota ou redonda), perfis (alto, baixo ou médio) e tamanhos diferentes. A escolha do silicone é feita pelo cirurgião plástico após conversar com a paciente sobre as suas expectativas (como mamas mais naturais, mais empinadas, etc.) e as suas características físicas.

 

  •  Quando eu posso fazer a cirurgia?
    A partir dos 15 anos, desde que autorizado pelos pais.

EM QUANTO TEMPO O SILICONE CHEGA NO LUGAR?

Após decidir passar pela mamoplastia de aumento, o desejo é sair da mesa de operação completamente pronta para desfilar os novos seios por aí. E não é bem assim…

Mas em quanto tempo as próteses se acomodam, doutor?

A resposta pode ser um pouco frustrante, mas a verdade é que isso varia de acordo com a paciente, já que cada organismo é único. No geral, o inchaço é comum nos 30 primeiros dias e a mama assume um formato natural dentro de seis meses. É importante comparecer em todas as consultas após a operação para que o médico avalie a sua recuperação e oriente quanto ao uso de acessórios, dentre eles o sutiã cirúrgico e a faixa mamária.

AUTOEXAME E SILICONE

Nas consultas pré-operatórias de mamoplastia de aumento algumas dúvidas são recorrentes. Uma delas é sobre o autoexame para identificar nódulos nos seios. A dúvida é pertinente, porque, apesar de não impedir o autoexame, a sensação tátil fica diferente, o que pode confundir a paciente.

O silicone projeta a mama, o que em tese facilita o diagnóstico, no entanto, após implantar a prótese, é possível que nem toda alteração seja um nódulo. As contraturas capsulares, complicação mais frequente nas mamoplastias de aumento, produzem alterações táteis similares aos nódulos.

É essencial, portanto, ter atenção redobrada ao fazer o autoexame, mas nunca deixar de fazê-lo. Além disso, a mamografia e o acompanhamento com o mastologista continuam sendo essenciais.

Para saber mais, consulte o seu médico. E não se esqueça de que só estão aptos para realizar cirurgias plásticas os membros da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *