Outubro Rosa e reconstrução mamária

As mamas possuem uma representação muito forte para as mulheres, pois simbolizam sua feminilidade, sexualidade e maternidade. A mastectomia é uma cirurgia muito difícil para quem está enfrentando um câncer de mama.

A reconstrução mamária vai muito além da estética. O procedimento devolve autoestima elevada, qualidade de vida e bem-estar às mulheres que precisaram passar por momentos desafiadores.

Entenda o Outubro Rosa

O movimento internacional de conscientização para a detecção precoce do câncer de mama, Outubro Rosa, foi criado no início da década de 1990, quando o símbolo da prevenção ao câncer de mama — o laço cor-de-rosa — foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York (EUA) e, desde então, promovida anualmente.

O período é celebrado no Brasil e no exterior com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama, a fim de contribuir para a redução da incidência e da mortalidade pela doença.

O câncer de mama

O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em países desenvolvidos. Cerca de 2,3 milhões de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres. As taxas de incidência variam entre as diferentes regiões do planeta, com as maiores taxas nos países desenvolvidos.

Para o Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

Opções para reconstrução mamária

A mastectomia é um momento muito delicado na vida das mulheres que sofrem com o câncer de mama.

A reconstrução mamária é uma cirurgia plástica reparadora, que pode ser realizada após a retirada da mama. O procedimento pode ajudar, remodelando os seios e fazendo com que eles recuperem sua forma.

Isso ajuda na autoestima e na autoconfiança, além de contribuir para o sucesso do tratamento.

Prótese de silicone

É indicada nos casos em que a mastectomia foi feita sem comprometer tanta quantidade de pele e para pacientes que não possuem tecido suficiente para reconstruir a mama.

Uso de expansores

Uma prótese com um expansor é implantada para ajudar a esticar o tecido que sobrou na mama. Quando a mama alcança o volume necessário, o extensor é retirado e a prótese definitiva é colocada.

Transferência de retalhos de pele

Faz a retirada de tecido de uma área do corpo da própria paciente para reconstruir a mama.

A reconstrução mamária será uma boa opção se

  • Você lidar bem com seu diagnóstico e tratamento,
  • Você não tem condições médicas ou doenças que possam prejudicar a cicatrização,
  • Você tem visão positiva e expectativas realistas do resultado da reconstrução da mama e da imagem corporal.

Resultado da reconstrução mamária

Os resultados finais da reconstrução pós mastectomia podem ajudar a minimizar o impacto físico e emocional da mastectomia. Com o tempo, certa sensibilidade na mama pode voltar, e as cicatrizes tendem a melhorar, embora nunca desaparecerão completamente. Há algumas limitações, mas, a maioria das mulheres acha que são pequenas em comparação à melhoria na qualidade de vida. Monitoração cuidadosa da saúde da mama através do autoexame, mamografia e demais técnicas de diagnóstico é essencial para sua saúde a longo prazo.

Gostou do artigo de hoje? Para ver mais conteúdos como esse, continue acompanhando meu blog e me siga nas Instagram

Referências

https://www.inca.gov.br/campanhas/outubro-rosa/2021/eu-cuido-da-minha-saude-todos-os-dias-e-voce

http://www2.cirurgiaplastica.org.br/cirurgias-e-procedimentos/mama/reconstrucao-mamaria/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *