Tem idade para realizar cirurgia plástica?

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com a aparência e o bem-estar e, por isso, acabam se submetendo a cirurgia plástica. Porém, é preciso ter cuidado quando o assunto é faixa-etária.

Cirurgias plásticas em crianças

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), são realizadas 127.887 mil cirurgias plásticas por ano em crianças, o que representa 21% do total de procedimentos cirúrgicos estéticos ou reparadores no Brasil.

As cirurgias reparadoras são as mais realizadas em crianças de até três anos de idade, como:

  • Fissuras de lábio e palato;
  • Tumores congênitos de face, cabeça e pescoço;
  • Cirurgias para corrigir cicatrizes;
  • Polidactilia (excesso de dedos);
  • Sindactilia (dedos colados).

Quando se trata da plástica estética, a cirurgia mais procurada para as crianças é a Otoplastia, a correção das “orelhas de abano”. O procedimento pode ser realizado após os cinco anos de idade, quando a orelha já está desenvolvida o suficiente.

Plástica em adolescentes.

Nos últimos dez anos houve um aumento de 141% de procedimentos entre jovens. Questões psicológicas e a grande exposição e permanência nas redes sociais são fatores que, muitas vezes, os levam ao consultório.

Não é errado querer elevar a autoestima, mas é importante que tenha a presença de pessoas certas no processo. As cirurgias estéticas na adolescência devem ser discutidas pelo pediatra clínico e pelo cirurgião plástico, levando sempre em conta a idade ideal e estabilidade emocional dos pacientes. O acompanhamento dos pais também é crucial durante a decisão

Plásticas em idosos

A cirurgia plástica se tornou uma escolha para muitos senhores e senhoras que buscam alinhar as partes física e mental. Dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) revelam que, em 2016, quase 13% das pessoas que realizaram cirurgia plástica nos Estados Unidos tinham mais de 65 anos.

A idade avançada é um fator de risco cirúrgico, principalmente quando acompanhada por doenças como diabetes e hipertensão. Porém com o avanço da tecnologia, uma avaliação física e mental pré-operatórias rigorosa e um bom cirurgião é possível aumentar a segurança dos pacientes durante o procedimento.

Conclusão

Em qualquer fase da vida é preciso analisar cautelosamente os objetivos e necessidades de cada paciente para que a plástica seja realizado com toda segurança e proporcione os melhores resultados.

Gostou do post de hoje? Continue acompanhando meu blog e me siga nas redes sociais para saber tudo sobre saúde e estética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *