Dezembro laranja – mês de conscientização sobre o câncer de pele

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os números de câncer de pele no Brasil são preocu­pantes. A doença corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país. É o tipo da doença mais incidente entre os brasileiros, com cerca de 180 mil novos casos ao ano.

A campanha tem o objetivo de informar a população sobre as principais formas de prevenção e procurar um médico especializado para diagnóstico e tratamento.

O câncer de pele

O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal das células que compõem a pele. Existem diferen­tes tipos de câncer da pele que podem se manifestar de formas distintas, sendo os mais comuns denominados carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular – chamados de câncer não melanoma – e que apresentam altos percentuais de cura se diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, apesar de não ser o mais incidente, é o mais agressivo e potencialmente letal. Quando descoberta no início, a doença tem mais de 90% de chance de cura.

Fatores de risco do câncer de pele

A exposição solar exagerada e desprotegida ao longo da vida, além dos episódios de quei­madura solar, são os principais fatores de risco do câncer de pele. Apesar de ser um problema de saúde que pode afetar qualquer pessoa, há perfis que são mais propensos ao seu surgimento. Neste grupo, estão os que têm a pele, cabelos e olhos claros; aqueles com histórico familiar dessa doença; os portadores de múltiplas pintas pelo corpo e pacientes imunossuprimidos e/ou transplantados.

Como prevenir o câncer de pele?

  • Evitar exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h.
  • Procurar lugares com sombra.
  • Usar proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV, sombrinhas e barracas.
  • Aplicar na pele, antes de se expor ao sol, filtro (protetor) solar com fator de proteção 30, no mínimo. É necessário reaplicar o filtro solar a cada duas horas, durante a exposição ao sol, bem como após mergulho ou grande transpiração. Mesmo filtros solares “à prova d’água” devem ser reaplicados.
  • Usar filtro solar próprio para os lábios.
  • Em dias nublados, também é importante o uso de proteção.
  • As tatuagens podem esconder lesões, portanto, merecem atenção.
  • Nas atividades ocupacionais, pode ser necessário reformular as jornadas de trabalho ou a organização das tarefas desenvolvidas ao longo do dia.

Cirurgia plástica para câncer de pele

Dependendo do tipo, do tamanho e da localização do tumor, a cirurgia plástica para câncer de pele é feita utilizando uma das diferentes técnicas de remoção cirúrgica disponíveis.

Uma lesão pequena pode ser removida com excisão, um procedimento cirúrgico simples. No entanto, o câncer de pele pode ser como um iceberg – o que está visível na superfície é apenas uma pequena parte do tumor; por baixo da pele, as células cancerígenas cobrem uma região maior e sem fronteiras definidas. Nesse caso, utiliza-se uma técnica chamada cirurgia de Mohs (especialmente em casos de lesão no rosto) no tratamento do câncer.

Gostou do artigo de hoje? Para ver mais conteúdos como esse, continue acompanhando meu blog e me siga nas Instagram

Referências

https://www.inca.gov.br/

https://sbcp-sc.org.br/artigos/cirurgia-plastica-para-cancer-de-pele/

https://www.sbd.org.br/dezembroLaranja/noticias/no-verao-os-cuidados-com-a-covid-19-e-a-prevencao-ao-cancer-de-pele-devem-andar-lado-a-lado-informa-a-sociedade-brasileira-de-dermatologia/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *